O compartilhamento na Rede Social: Facebook e processos de construção de identidade

Apresentei ontem (25/11) na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas), uma pesquisa acadêmica como conclusão do curso de Psicologia – minha segunda opção de graduação. Confira abaixo um resumo da proposta.

A discussão sobre os novos padrões de relacionamento, comunicação e formação de grupos na internet tem sido pauta em assuntos relacionados à organização social moderna. Em meio ao acesso desenfreado às Redes Sociais Virtuais através de celulares e computadores, a informação sem fronteiras segue uma lógica de interações que mistura sujeitos e empresas em uma rede de compartilhamento infinita.

O objetivo do trabalho foi investigar os motivos que levam os sujeitos a compartilhar postagens no Facebook, tendo em vista a presença de assuntos diversos, em uma mídia em que o usuário é o produtor de conteúdo e escolhe na sua própria página, o que é ou não interessante para os seus ‘leitores’.

Assim, pretendeu-se identificar as características das postagens (conteúdo, texto, foto, vídeo ou link) que levam os sujeitos a compartilhar conteúdos em seus perfis pessoais, tais como: religião, assuntos pessoais, política e economia. Complementar a esta análise, serão estudas as expectativas criadas a partir de um compartilhamento em relação à popularidade/visibilidade, status e pertencimento a um determinado grupo social, cultural e econômico, o que nos leva a questionar os processos de construção de identidade nesse contexto virtual interacional.

Por ser um tema emergente por possibilitar novas formas de relacionamento entre as pessoas no mundo contemporâneo, a Psicologia ainda carece de pesquisas que entendam e analisem o comportamento dos usuários em uma mídia instantânea e simultânea, que exige a cada dia mais, o tempo de quem usa. No entanto, os estudos relacionados às Redes Sociais como o Facebook, já são realizados com maior intensidade, pelas áreas de Comunicação Social e Marketing. Isso foi constatado quando da pesquisa em sites acadêmicos tais como Scielo e Pepsic, dentre outros.

Há cinco anos o Marketing Digital praticado na Internet e a forma com que as pessoas se engajam na rede tem sido meu objeto de trabalho. Desde a graduação em Comunicação Social, o culto às celebridades instantâneas, e o universo da ‘arte biográfica’ que gira em torno do contexto de narrar a vida, pautam meus estudos. Em 2008, para a conclusão do curso de jornalismo, falei sobre “O cinema e a reconstrução do personagem: estudo sobre a reapropriação da celebridade Kurt Cobain a partir do filme Last Days (2005)”. Em 2009, escrevi sobreA morte do personagem midiático: um estudo sobre Kurt Cobain na revista Rolling Stone Brasil, 15 anos após o seu suicídio”, em um artigo científico de conclusão de curso de pós graduação.

Durante a minha trajetória profissional, trabalhei com grandes marcas como Ricardo Eletro, Usiminas, Fiat e o Escritório de Prioridades Estratégicas do Governo de Minas como Analista de Mídias Sociais e Comunicação na Internet.

Olhar os números das Redes Sociais em 2013 ajuda a reforçar a relevância do tema. A pesquisa F/Radar, idealizada pela F/Nazca Saatchi & Saatchi em parceria com o Instituto Datafolha, entrevistou pessoalmente 2.236 pessoas, com 12 anos ou mais, de todas as classes sociais. Os dados correspondem a maio de 2013. Segundo a pesquisa, os internautas somam mais de 84 milhões de brasileiros – ainda segundo a pesquisa, há uma estimativa de mais de 157 milhões de brasileiros com mais de 12 anos em 2012, o que significa dizer que pelo menos metade da população com mais de 12 anos está usando a internet.

Para compreender este universo, a pesquisa a seguir pretendeu utilizar a maior Rede Social mundial deste momento, a norte-americana Facebook. Tendo em vista  a caracterização desta como uma das maiores e mais promissoras empresas de investimento financeiro (inclusive com ações na Bolsa de Valores), justifica-se observar o tipo de interação que é feita hoje por empresas e pessoas simultaneamente.

Uma prática bastante comum nesta é rede é a de compartilhar conteúdos para que outras pessoas possam ter acesso a eles. O compartilhamento é uma prática de replicar a informação que aparece através de uma pessoa (outro usuário) ou Fan Page que o sujeito escolhe acompanhar em sua rede social. É diferente de publicar um conteúdo de sua própria autoria, mas  dar visibilidade a um conteúdo já publicado por outrem.

Assim, o trabalho pretendeu investigar esse fenômeno através de uma análise da rede social virtual Facebook e a lógica de interações envolvida na dinâmica de relacionamento, e compreender o ato do compartilhamento como uma das facetas relativas à construção de identidade do sujeito. Posteriormente, através de uma entrevista com os próprios usuários, identificou-se as razões pelos quais eles compartilham e qual é a característica do conteúdo compartilhado, relacionando-o com objetivos de consumo, políticos, religiosos, dentre outros.

Alguns resultados da pesquisa podem ser vistos aqui:

http://pt.slideshare.net/cinthiademaria/slideshelf

Curso Redes Sociais para profissionais da Gastronomia – BH (presencial)

O uso das redes sociais na hora da tomada de decisão de consumo ou de compra transformou o mercado de inúmeros segmentos. Com a disseminação das novas mídias, hoje qualquer pessoa pode consultar ou registrar opiniões e relatos sobre produtos e serviços de forma simples, porém, ampliada.

O impacto dessa nova cultura digital para empresas que não estão preparadas para lidar com esse tipo de comunicação pode custar caro. Um relato de uma experiência ruim em um restaurante que não for respondida pode causar sérios danos à imagem do negócio, da mesma maneira que uma empresa com ações focadas no marketing digital pode se destacar no mercado.

No papel de empreendedor ou de colaborador de algum negócio de gastronomia, o conhecimento de técnicas, conceitos e estratégias para lidar com as redes sociais é fundamental para o sucesso profissional.

Com o objetivo de criar empoderamento ao profissional da gastronomia quando o assunto é divulgação e comunicação estratégica nas redes sociais, as jornalistas e empreendedoras Raquel Camargo e Cínthia Demaria convidam pessoas que trabalham em restaurantes, bares, buffets, docerias e empresas do tipo para um dia de compartilhamento de conhecimentos de redes sociais. Veja detalhes da proposta:

Curso Redes SOciais Gastronomia
Redes sociais para profissionais de gastronomia
Data: 15 de dezembro – de 9 às 17h
Local: Espaço Vila da Serra (próximo à Praça do Papa) – Belo Horizonte

Objetivo: Capacitar profissionais da área de gastronomia para usarem de forma adequada as Redes Sociais com intuito de garantirem credibilidade, confiança e encantamento do público.

Saiba sobre o que vamos falar:

– Onipresença digital: você está fazendo isso errado?
– Foco no conteúdo: qual o melhor tipo de publicação e quais técnicas de redação usar na hora de falar com seu público pela internet?
– Planejamento: medir para acertar: entenda mais sobre planejamento sazonal, com assuntos relevantes para o público de gastronomia e comportamento nas redes sociais.
– Atividades práticas com os cases dos participantes
– Técnicas de engajamento e Psicologia do Consumo
– Técnicas de storytelling

Valores:
Até dia 26 de novembro: 180 reais
Após dia 27 de novembro: 200 reais

Facilitadoras da troca de conhecimentos:
Raquel Camargo – jornalista, mestre em Estudos de Linguagens pelo Cefet-MG com projeto sobre apropriação Literária no Twitter, já trabalhou com redes sociais com personalidades como Eduardo Costa, Itamar Franco e marcas como UOL, Uni-BH e projetos do Escritório de Prioridades Estratégicas do Governo de Minas.

Cinthia Demaria – jornalista, especialista em Mídias e graduanda em Psicologia, já trabalhou em diversas agências de publicidade e também atuou no setor de comunicação do Escritório de Prioridades Estratégicas do Governo de Minas.

INSCRIÇÕES AQUI!