Brasil é o país que mais interage no Facebook

61 milhões de brasileiros acessam a rede de Zuckeberg, revelou o Social Bakers. O site estudou as atividades de cada país no Facebook e concluiu que nós somos os que mais publicamos mensagens entre todos os países.

O site monitorou 800 perfis brasileiros que, juntos, postaram mais de 86 mil mensagens por mês. Porém, considerando a média de postagens individual por perfil, o Brasil ficou em quinto lugar, com 103 publicações. Dessa forma, ficou atrás da Itália, Colômbia, Rússia e Egito.

(Fonte da imagem: TechGuru)

É interessante perceber, ainda, que quase 1/3 dos brasileiros estão conectados na rede social (a população brasileira é estimada em 193 milhões de habitantes, segundo o IBGE).

E o governo está de olho na interação dos brasileiros

Coincidência ou não, a Assessoria de Comunicação do Governo Federal publicou essa semana o Manual de Redes Sociais para seus canais. Quebrando os paradigmas dos padrões governamentais, o manual está muito bem contextualizado, bem escrito e com diretrizes bem estabelecidas, que muita empresa privada ainda não usa.

#ficaadica para quem ainda não viu. Clique aqui para acessar o manual.

Anúncios

Como você planeja sua campanhas em redes sociais?

O tempo urge, o mercado é competitivo e o produto preciso ser lançado. O cliente demanda campanha nas redes sociais com análise de ROI (Returno of investiment) em menos de um mês. Isso se parece com o seu cotidiano? Se não, considere-se um sortudo, pois essa é uma realidade bem comum para profissionais de marketing digital.

Os leigos misturam o poder da instantaneidade que as redes sociais proporcionam com campanhas fast food. E é exatamente aí que está a questão. Por possibilitar interação em tempo real, uma ação de marketing digital demanda ainda mais um planejamento bem feito, pensando nos riscos e objetivos a serem atingidos antes de partir para a guerrilha.

Pensando nisso, considero muito oportuno trazer um infográfico que vi num post do Steve Goldner, preparado pela Angie Schottmuller, reforçando justamente esse cuidado que o profissional de marketing deve ter.

O “funil da estratégia”, mostrado abaixo, exemplifica que um bom negócio deve começar pelo óbvio: entender profundamente da empresa antes de tentar inovar. Os profissionais (principalmente as empresas) precisam entender que a inovação é um processo e não uma ideia que cai do céu. As perguntas feitas são muito mais importantes do que a corrida contra o tempo pelas respostas ideais.

O infográfico mostra que antes de querer criar milhares de perfis nas redes sociais é preciso entender a missão do negócio: público alvo, visão, valores e se perguntar: Por que? O que a empresa precisa? Quais são as metas? O que quer atingir? Qual objetivo? Qual resultado esperado? etc.

O resultado de uma campanha é espelho do briefing que o profissional correu atrás para ter. Em seguida, é claro, é hora de pensar em táticas específicas de Social Media, tais como escuta, engajamento, interação, retorno, relacionamento e marketing de oportunidade a partir do buzz que foi gerado ali. Não há como prever nem direcionar o que as pessoas irão dizer nem como irão se engajar com a sua marca, entretanto, se os objetivos da campanha estiverem claros para quem a conduz, o rumo a ser tomado é muito mais assertivo.

Por incrível que pareça, o segredo para ser inovador ainda está em fazer o que ninguém faz: o básico. Quanto mais o ser humano tenta se modernizar, mais descobre o quanto o difícil (e o mais estratégico) é ser simples.