Na era da informação colaborativa, governos apostam em modelos criados por usuários de Redes Sociais

Depois que a Islândia resolveu escrever a nova Constituição do país de forma colaborativa, agora é a vez de Minas Gerais. O estado não arriscou tanto a ponto de mudar sua Constituição, mas criou o Movimento Minas, uma rede que permite que os cidadãos enviem sugestões e ideias de como a administração pública deve atuar.

As sugestões devem abranger áreas como saúde, educação e segurança. Para participar o cidadão tem que criar um perfil no site que permite a interação entre os participantes. No site é possível ver as idéias sugeridas por outros internautas. Vinte e uma personalidades mineiras de diversas áreas também foram convidadas a participar do projeto. Eles vão se encontrar para discutir e propor ideias.

A reflexão que é possível concluir com a ação desses governos é simplesmente dizer que eles estão na mão certa da população. Esses governantes entenderam que não é possível construir informação sem colaboração e que o usuário tem o poder (e vontade) de mudar o futuro com as suas próprias mãos. Afinal, não existe construção eficiente sem entender de fato quais são as necessidades de quem é o maior beneficiado: o cidadão.